segunda-feira, 8 de agosto de 2011

Membro do AA revela que número de frequentadores tem diminuido nas reuniões do grupo e alerta para os riscos do alcoolismo.


video

O alcoolismo é uma doença crônica que atinge cerca de 15% da população brasileira. Muitos demoram a reconhecer que a dependência química trata-se de uma doença e que deve ser assistida como tal. O consumo abusivo de bebidas alcoólicas e por um longo período, pode causar sérias complicações à saúde como câncer, danos cerebrais irreversíveis, problemas no sistema cardíaco e malformações em bebês, em caso de grávidas alcoólicas.


Para o tratamento da dependência química existe o Alcoólicos Anônimos - uma irmandade que compartilha as experiências de homens e mulheres no combate ao alcoolismo. O AA existe em Chapadinha há 18 anos, as reuniões são realizadas as quintas-feiras a partir das sete horas da noite e aos domingos às cinco horas da tarde, na pastoral da criança, localizada na Rua Sebastião Barbosa, no centro da cidade.


Cid Carvalho é um ex-dependente químico e desde a fundação do grupo no município é membro do AA. Em entrevista à reportagem do “Ações e Destaques” ele fala que o número de freqüentadores tem diminuído nas reuniões e que as conseqüências desse afastamento podem ser fatais.


Para se tornar membro do AA o único requisito é o desejo de parar de beber. O grupo vive das próprias contribuições e não cobra taxas ou mensalidades.


Por Fabrícia Bogéa
Imagens: Alexandre Cunha
Edição: Raimundo Sousa

Nenhum comentário:

Postar um comentário

Deixe um comentário: